Científicas Notícias

PREOPANC: Radioquimioterapia pré-operatória melhora a sobrevida global no câncer de pâncreas

De 4 a 8 de junho de 2021 aconteceu a Reunião Anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) e no primeiro dia do evento foi apresentado o estudo: PREOPANC — Radioquimioterapia pré-operatória para melhoraria da sobrevida global no câncer de pâncreas: resultados de longo prazo. O ensaio clínico randomizado controlado de fase III foi realizado em 16 centros de saúde na Holanda. O endpoint primário foi a sobrevida global por intenção de tratar (ITT) e os endpoints secundários foram a taxa de ressecção, taxa de ressecção com margem RO e toxicidade. Pacientes com câncer pancreático ressecável (RPC) e com câncer pancreático com ressecção Borderline (BRPC) foram randomizados em 2 grupos sendo estratificados em Grupo A: cirurgia upfront seguida por 6 ciclos de gencitabina adjuvante (1000 mg/m 2 semanais por 3 de 4 semanas) e o Grupo B radioquimioterapia (RTQT) neoadjuvante (gencitabina 1000 mg/m2 semanalmente por 7 de 10 semanas e radioterapia 15 x 2,4 Gy na semana 4 a 6), seguido de cirurgia e quatro ciclos de gencitabina adjuvante (1000 mg/m 2 semanais por 3 de 4 semanas)

De abril de 2013 a julho de 2017, 246 pacientes elegíveis foram divididos em Grupo A com N= 127, idade mediana 67 (60-73), 74 homens (58%), doença ressecável 68 (54%) e ressecção Borderline 59 (47%) e o Grupo B com N= 119, idade mediana 66 (59-71), 64 homens (54%), doença ressecável 65 (55%) e ressecção Borderline 54 (45%).

Após um acompanhamento médio de 56 meses (35,3 – 92,0 meses), 210 pacientes morreram, 117 (92%) no braço de cirurgia upfront e 93 (78%) no braço de RTQT pré-operatório. A sobrevida global por ITT de três e cinco anos foi de 27,7% e 20,5% após a RTQT pré-operatória versus 16,5% e 6,5% após a cirurgia imediata (HR 0,73; IC 95% 0,56 a 0,96; p = 0,025). Além disso, a sobrevida livre de doença (HR 0,70; p = 0,009) intervalo livre de falha loco-regional (HR 0,57; p = 0,004) e intervalo livre de metástases à distância (HR 0,74; p = 0,071) melhorou após a RTQT pré-operatória. Também nos subconjuntos estratificados RPC e BRPC, RTQT pré-operatório melhorou a sobrevida global: RPC (n = 133, HR 0,79; IC 95% 0,54-1,16; P = 0,23). BRPC (n = 113, HR 0,67; IC 95% 0. 45 a 0,99; p = 0,045). Não foi possível demonstrar uma diferença no efeito do tratamento entre esses subconjuntos (teste de interação p = 0,56).

O estudo conclui que a RTQT pré-operatória à base de gencitabina para RPC ou BRPC melhora a sobrevida global em longo prazo em comparação à cirurgia imediata com gencitabina adjuvante.

Dr. Felipe Teles de Arruda
Radio-Oncologista
Complexo Hospitalar Imaculada Conceição – Curvelo -MG

Congresso de Pele

Congresso SBRT

ECR

RT 2030

Encontre um Especialista