Científicas Notícias

Radioterapia de bexiga: Hipofracionamento como conduta padrão?

A Preservação de órgão é uma alternativa à cistectomia em casos de neoplasia de bexiga localmente avançada.  Metanálise publicada em fev/21 na revista Lancet Oncology incluiu os dois principais estudos randomizados fase III sobre o hipofracionamento (BC2001 e BCON), em uma análise de não inferioridade em relação ao fracionamento convencional.

Foi uma análise multi-institucional de 782 pacientes com estadio T1G3/T2/T4-N0M0, tratados com Radioterapia 3D e randomizados em fracionamento convencional (64Gy em 35 frações) e hipofracionamento (55Gy em 20 frações). Controle locorregional invasivo e toxicidade tardia foram os endpoints principais. Dos 782 pacientes incluídos nessa metanálise (326 do estudo BCON e 456 do BC2001), 376 foram randomizados para o hipofracionamento (48%) e 406 para o fracionamento convencional (52%). Seguimento mediano de 120 meses.

O resultado do estudo descreve o braço do hipofracionamento com menor chance de recorrência locorregional invasiva e as toxicidades tardias foram semelhantes, o que levou à conclusão de que o esquema de 55Gy em 20 frações foi não inferior ao grupo controle (tratamento padrão atual). Os autores sugerem, por fim, o hipofracionamento como conduta padrão na Radioterapia para neoplasia de bexiga.

Dra. Tatiana Azevedo
Médica Radio-oncologista- IOV – Instituto de Oncologia do Vale – São José dos Campos
@tatilazevedo

Congresso de Pele

RT 2030

Encontre um Especialista