Restrito Técnicas de Radioterapia

Radioterapia guiada por imagem (IGRT)

O objetivo da IGRT é melhorar a acurácia através de imagens obtidas na máquina antes da aplicação, tornando viável a diminuição das margens ao redor do tumor e, com isso, possibilitar novas abordagens clinicas, como o hipofracionamento e o escalonamento de dose para alguns sítios anatômicos.

O emprego da IGRT é muito importante devido à distribuição precisa de dose produzida pela IMRT ou até mesmo pela radioterapia conformada. Esses dispositivos podem também verificar as mudanças que podem ocorrer na localização e no tamanho do volume alvo durante o tratamento, gerando a necessidade de novos planejamentos. Esses novos planejamentos são conhecidos hoje como radioterapia adaptativa.

Existem diferentes opções de tecnologia integradas na sala de tratamento e as mais utilizadas incluem: imagem com raios-x de kilovoltagem ou megavoltagem (EPID), com ultrasonografia, tomoterapia, tomografia convencional e “ConeBeam CT” com kilovoltagem (KV) ou megavoltagem (MV).

Algumas dessas opções geram imagens em duas dimensões, permitem a visualização de marcadores e/ou da anatomia óssea e são bastante úteis para correções de posicionamento. Desenvolvimentos mais recentes como o “ConeBeamCT” executam uma tomografia na máquina de tratamento, geram imagens volumétricas e possibilitam a visualização dos tecidos moles, permitindo assim, a verificação do formato e posição dos órgãos e volume alvo, bem como a mudança da anatomia do paciente durante o tratamento.
Em resumo, a IGRT fornece a oportunidade de um adequado controle de qualidade dos tratamentos com radioterapia.

Congresso SBRT 2018

Encontre um Especialista